quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Caxangá


A Avenida Caxangá, a maior via em linha reta da América Latina, é uma terra de ninguém. E triste de nós, moradores da Zona Oeste que dependemos dela para exercer nosso direito garantido na Constiuição Federal de ir e vir. No máximo, você consegue ficar parado.

Hoje, passei 35 munitos marcados no meu relógio alemão (coisa de fina e fofa) para percorrer um trecho de menos de um quilômetrto. Tudo porque a Prefeitura do Recife decidiu refazer todas as paradas de ônibus na via. Sem necessidade. Só para ficar igualzinho ao infame Corredor Leste-Oeste.

Para quem não sabe, as paradas de ônibus da Caxangá são no meio da avenida, com faixas exclusivas para ônibus. Só que, com a reforma das paradas, os coletivos estão parando do lado direito da via, na calçada, no lugar dos carros. O melhor de tudo é que, pela Caxangá, circulam umas 30 linhas.

O problema se torna ainda pior porque o cruzamento da Caxangá com a Real da Torre é um dos pontos mais críticos de engarrafamento da cidade. Tudo porque ainda não encontraram uma solução para construir um viaduto ou um túnel ali. A desculpa, provavelmente, é que há no local um prédio tombado pelo Patrimônio Histórico - o Museu da Abolição.

Para mim, é apenas uma desculpa esfarrapada para cobrir uma engenharia de trânsito ineficiente e deficitária. Uma obra viária que solucionasse aquele congesionamento pontual deveria estar incluído no projeto do Corredor Leste-Oeste. Mas talvez o orçamento só tenha sido suficiente para a construção de paradas de ônibus mal-planejadas que mal cabem os passageiros que aguardam seus transportes para casa e trabalho.

PS: Desculpem-me colegas da Prefeitura do Recife. Apenas não consegui mais segurar minha fúria por ser usuária do Corredor Leste-Oeste, como tantos outros moradores do Recife. Aqui, saiu de cena a jornalista e entrou a cidadã, que paga seus impostos e aprova medidas tomadas pela atual gestão. Mas não é por causa disso que tenho que deixar de lado o meu direito de criticar e opinar.

Notas de hoje:

- Sopra velinhas hoje Eduardo Maciel, o todo-poderoso do endomarketing do Sebrae, e Márcio Didier, sub-editor de Política do JC.

- Do Canadá, Fabiana Maranhão tem acompanhado as novidades através do blog. E avisa que retorna neste domingo (14).

- Quem também chega do Canadá é Priscila Feitosa, que espera os amigos sábado num churra em casa.

- Nivia Gouveia está de malas prontas para voltar do Recife. Desta vez, em definitivo.

- A cegonha bateu na porta de Daniella Monteiro. O bebê virá ao mundo em julho.

* Envie sua sugstão de texto, nota ou foto para mr2505@gmail.com

2 comentários:

  1. Serginho [www.polisetcircensis.zip.net]11 de dezembro de 2008 14:45

    A cada "invenção" de trânsito da Prefeitura, as coisas ficam mais difíceis.
    Atenção, senhor futuro prefeito João da Costa! Nós, moradores da zona norte, pedimos: Esqueça a Avenida Norte! Deixe tudo como está!

    ResponderExcluir
  2. Essa foto foi eu que tirei.

    Crédito para Rian Lins

    ResponderExcluir

Olha o que os finos e fofos disseram