segunda-feira, 4 de abril de 2011

Scream for me, Recife!!!!

Como eu já havia dito aqui, o heavy metal pode sim ser fino e fofo. E por isso que estávamos no front stage (mas até hoje eu ainda prefiro chamar de pista vip, porque acho mais fino e fofo) do show do Iron Maiden, ontem, no Centro de Convenções.

Gostei mais deste show do que o de 2009, no Jockey Club. Os senhores ingleses estão mais afiados do que nunca. Sim, senhores, ninguém ali tem menos de 50 anos. Steve Harris dedilhava seu baixo com mais habilidade que o mais experiente pianista poderia ter. Janick Gers estava menos aloprado que em 2009, fazendo menos piruetas com a guitarra, e tocando muito mais. Nicko McBrain trouxe uma grande parafernália para a sua bateria que nem podíamos enxergá-lo por trás do instrumento, só o vimos quando ficava em pé. E Bruce Dickson aprendeu com o colega Bono e fez um pequeno discurso humanitário: lembrou que cancelou os shows no Japão por causa do terremoto, pediu que lembrássemos das vítimas e disse que tínhamos sorte por morar no Brasil, onde não há grandes desastres naturais.

Mas a supresa mesmo veio quando o vocalista informou à plateia que o show estava sendo gravado. Vamos aparecer em outro documentário da turnê da banda. Eles já fizeram isso em 2007, na primeira perna da turnê Somewhere Back In Time World Tour, quando percorreram 70 mil quilómetros nos cinco continentes do planeta, totalizando 23 apresentações em apenas 45 dias. Eles gostaram da experiência e estão repetindo.

Vamos ver quem esteve no show?

Em sentido horário: Ricardo Novelino e Isabel Correia; Monica Crisóstomo e Alanah, que foi ao seu primeiro show de heavy metal; Daniel Guedes, que debutou na head banger life style; e Wilfred Gadêlha e Renato Mota.

Flaviane Ribeiro e Marcos Toledo; Samuel Costa, o único de branco; Pupi Rosenthal; e Felipe Andrade, do Blog Social 1.

Ricardo Novelino, Pupi Rosenthal e Michele Cruz; Leo Spinelli; Fred Herbaud, Renato Banha e Júnior Gadelha; e a família heavy metal: Mateus, Pedro Ivo Bernardes, Alanah e Monica Crisóstomo.

Fred e Regina Herbaud, que voltaram no primeiro voo de São Paulo depois de assistirem ao show deOzzy; Nathalia e Sérgio Montenegro Filho; Ricardo Dantas Barreto e Pedro Ivo Bernardes; e João Carvalho.

Da esquerda para direita: Alanah e eu que, segundo ela, estávamos suuuuuuuper parecidas, com blusa da mesma estampa, short jeans, tênis All Star e cabelo no rabo-de-cavalo; Tio Novelino ajudando Alanah a ver o show; e Sérgio Montenegro Filho, que já perdeu as contas de quantos shows do Iron Maiden assistiu.

Ainda tem espaço para frescura? Então olha a tendência black nails: Pupi (mãos com anéis) com uma cor preta qualquer. E eu, com um Risquè Preto Fosco que trouxe de São Paulo, porque ainda não chegou no mercado daqui do Recife.

8 comentários:

  1. Que divertido este post! Adorei! :)

    ResponderExcluir
  2. Foi um show muito, muito legal. E ver a carinha de Alanah vendo Eddie, não tem preço.

    Ela amou as fotos :)

    ResponderExcluir
  3. Vai ser preta qualquer até a cunhada voltar de SP e trazer o preto fosco de presente... né isso?!!

    ResponderExcluir
  4. Já tem esmalte preto fosco pra vender nas lojas americanas.

    ResponderExcluir
  5. Pupi e Mariana,
    Vi uma amiga com vermelho fosco e extra-brilho na ponta (como francesinha). Ela me disse que é uma base que deixa qualquer cor fosca. Imagina o preto fosco com a pontinha com brilho... E vende aqui, roqueiras!

    ResponderExcluir
  6. Serginho Montenegro4 de abril de 2011 16:47

    Posso ter perdido a conta de quantos shows do Maiden já assisti, mas continuo querendo ver mais!!!!!
    UP THE IRONS!!!!!

    ResponderExcluir
  7. ta vendendo risqué fosco la no mundo do cabeleireiro da madalena!

    ResponderExcluir
  8. tô até agora tentando entender a presença da cara amiga Michele Cruz, a rainha do sambão, no show do Iron Maiden. kkkkkk.

    ResponderExcluir

Olha o que os finos e fofos disseram